Reportagem

A sustentável leveza do comer

A cozinha sustentável, de não-desperdício, com base numa agricultura respeitadora da natureza, é o novo fenómeno da restauração. Ricardo Dias Felner, aka O Homem Que Comia Tudo, diz que a moda se recomenda.

Foto
Em Estocolmo o Rosendals parece uma espécie de estufa DR

Para se almoçar no restaurante mais ecológico de Estocolmo é preciso agarrar num tabuleiro, talheres, copo e depois escolher do buffet. Não há muitas opções, só as habituais sandes em pão escuro escandinavo e os pratos do dia: sopa de beterraba e camarão cozido com mostarda. Antes de nos sentarmos, temos ainda de enfrentar uma fila para pagar — uma nota de 20 euros — e só depois escolhemos a mesa, que pode ser no interior, uma espécie de estufa envidraçada com o chão em cascalho, ou na esplanada. No final, os tabuleiros devem ser arrumados pelo cliente numa área de reciclagem, instalada no exterior: há um contentor para compostagem dos restos, outro para os guardanapos, outro para louça e talheres.