EUA multam agência que vendeu viagens para Cuba

Finanças detectaram que a empresa não cumpriu com regulamentos que limitam ligações entre EUA e Cuba.

Expedia vende viagens e quartos de hotel em todo o mundo
Foto
Expedia vende viagens e quartos de hotel em todo o mundo Fabrizio Bensch/Reuters

A agência de viagens Expedia vai pagar quase 300 mil euros ao Governo norte-americano por violar as sanções económicas aplicadas por Washington a Cuba, informou o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos.

A empresa é acusada de violar o Regulamento para o Controlo dos Recursos Cubanos, o principal mecanismo da aplicação do embargo norte-americano à ilha.

Em causa está a venda, através de filiais internacionais, de viagens a Cuba a pelo menos 2221 pessoas, entre 2011 e 2014.

O acordo firmado pelo Tesouro e a empresa refere que as violações ocorreram “porque certas afiliadas estrangeiras da Expedia não compreendiam e não estavam familiarizadas com as leis de sanções económicas dos EUA”.

“No que diz respeito a pelo menos uma filial estrangeira, a Expedia não informou a filial (...) que estava sujeita à lei e jurisdição dos Estados Unidos”, poder ler-se no documento.

No início deste mês, os Estados Unidos impuseram novas sanções contra Cuba e proibiram, além de viagens culturais e educacionais em grupo para a ilha, a exportação de barcos e aviões privados e comerciais.

Em Abril, Washington, que acusa as autoridades cubanas de apoiar os regimes de Nicolás Maduro na Venezuela e de Daniel Ortega na Nicarágua, alargaram a “lista negra” de empresas cubanas que não podem beneficiar de transacções financeiras directas dos EUA.