Os bastidores do financiamento a Berardo

O investidor José Berardo ganhou voz no BCP, onde chegou a deter 7% do capital, sustentado em crédito problemático da CGD. Mas Berardo é também o rosto de uma época. Estes são os seus bastidores.

M. Night Shyamalan
Foto
Berardo na célebre Assembleia Geral do BCP de Maio de 2007 na Alfândega do Porto Paulo Pimenta

A história do financiamento ruinoso da CGD a Berardo, e a outros, esconde outra mais intrincada cheia de protagonistas que se cruzaram no BCP. Uma história que ganha asas em Maio de 2007, quando o Conselho Geral e de Supervisão (CGS) do BCP convoca a Assembleia Geral (AG), tendo na agenda um ponto (o oito) sensível: propor que a administração executiva seja nomeada pelo CGS. Por outras palavras: o líder do CGS, Jorge Jardim Gonçalves, queria ter o poder de escolher e de demitir o CEO, que era Paulo Teixeira Pinto.