“Sucesso” do Governo deve ser referendado no domingo, diz Carlos César

O presidente socialista afirma que “o PS é o único grande partido nos Açores que respondeu à chamada dos açorianos para uma representação no Parlamento Europeu”, algo que “não pode deixar de ser valorizado”.

Carlos César, presidente do PS e líder parlamentar do partido
Foto
Carlos César, presidente do PS e líder parlamentar do partido Nuno Ferreira Santos

O presidente do PS disse este domingo, num jantar-comício, que os açorianos devem estar gratos à Europa e centrou as suas palavras no “sucesso” do actual Governo, que, defendeu, “deve ser referendado nestas eleições”.

Nos últimos quatro anos, Portugal ficou a “crescer mais do que a União Europeia, mais do que a média da zona euro”, lembrou Carlos César, falando em Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel.

E prosseguiu: “Diminuímos o flagelo do desemprego, em especial o desemprego jovem, e criámos mais de 350 mil empregos ao longo destes quase quatro anos”, ao mesmo tempo que se tem aplicado uma “carga fiscal inferior à média da União Europeia e da zona euro”.

O PS, no actual Governo, conseguiu recolher “prestígio interno e externo” e, nesse sentido, defendeu Carlos César, “estas eleições europeias devem confirmar o PS em Portugal como o maior partido português e o maior partido socialista democrático em toda a Europa”.

Para além disso, lembrou o presidente socialista e também líder parlamentar do partido, “o PS é o único grande partido nos Açores que respondeu à chamada dos açorianos para uma representação no Parlamento Europeu”, algo que “não pode deixar de ser valorizado”.

“Não é fácil no nosso país, acreditem por experiência própria, defender as autonomias regionais (...) e ter a coragem de dizer que nas listas do PS as regiões autónomas estão num lugar de honra”, prosseguiu Carlos César, num elogio a António Costa, também presente no jantar-comício nos Açores.

Antes, o cabeça de lista do PS às europeias de domingo, Pedro Marques, defendeu que “dar força” aos Açores no Parlamento Europeu “é votar no PS”, acrescentando que “os Açores também são Europa e também são Portugal”.

Falando perante algumas centenas de socialistas em Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel, Pedro Marques lembrou que o PSD não apresenta às europeias um candidato pelos Açores e “a primeira coisa que vão fazer” com os votos dos portugueses é “tentar eleger para presidente da Comissão Europeia” Manfred Weber, que “quis sancionar” Portugal no passado.

“Quem quer dar força aos açores no Parlamento Europeu tem de votar no PS”, prosseguiu o candidato a eurodeputado.