Torne-se perito

Amazon forçada a retirar produtos infantis com altos níveis de chumbo e cádmio

Os materiais tóxicos foram encontrados nas partes metálicas de estojos para lápis, mochilas, capas de livros, brinquedos e colares para crianças – nos fechos zíper, pintura e outras decorações.

Amazon.com
Foto
A “segurança dos clientes é a maior prioridade da Amazon”, diz a empresa Reuters/Carlos Jasso

O procurador-geral do estado de Washington, nos Estados Unidos, chegou a acordo com a Amazon para eliminar daquela plataforma digital artigos escolares e jóias infantis com níveis elevados de chumbo e outros metais tóxicos, como o cádmio. Mais de 15.000 pessoas terão comprado esses produtos, entre 2017 e 2018, descobriram as autoridades norte-americanas – e dessas, pelo menos 600 viviam em Washington.

Uma investigação do procurador Bob Ferguson deu conta de que alguns materiais e jóias para crianças (a maior parte deles fabricados na China) vendidos através do portal do gigante de comércio electrónico excediam em mais de 80 vezes o limite legal de chumbo. Mesmo depois de a empresa ter sido notificada uma primeira vez, e de se ter comprometido a retirar os brinquedos do site, os investigadores norte-americanos voltaram a encontrar os produtos em causa à venda, escreve o jornal Seattle Times

Ao abrigo do acordo anunciado nesta quinta-feira, a Amazon compromete-se a verificar, junto dos fornecedores, os certificados que provam a segurança dos produtos e o cumprimento dos estatutos de protecção do consumidor dos EUA e de Washington. Vai avançar ainda com 700 mil dólares (623 mil euros) “para financiar esforços de protecção ambiental, incluindo futuras investigações sobre produtos tóxicos para crianças”, indicou Ferguson, em comunicado. “Como pai, quando compro produtos para os meus filhos, espero que sejam seguros”, indicou.

Fergunson acrescentou ainda que a Amazon notificou os compradores destes produtos, devolveu mais de 200.000 dólares e notificou a comissão de protecção do consumidor para que se iniciasse “o processo de recolha dos produtos”.

Numa conferência de imprensa, Kelly Wood, assistente do procurador-geral na unidade de protecção ambiental, detalhou que os materiais tóxicos eram normalmente encontrados nas partes de metal de estojos para lápis, mochilas, capas de livros, brinquedos e colares para crianças – nos fechos zíper, pintura e outras decorações

A representação da empresa disse, em comunicado, que a “segurança dos clientes é a maior prioridade da Amazon”, mas não detalhou os procedimentos que toma para garantir essa segurança – nomeadamente auditorias, sanções ou remoções da loja. 

Sugerir correcção