Estudantes alemães criam algoritmo que prevê quem morre a seguir em A Guerra dos Tronos

O mecanismo é baseado numa técnica semelhante à usada em estudos científicos que examinam os efeitos dos tratamentos e complicações em pacientes com cancro.

,Sansa Stark
Foto
Daenerys Targaryen e Tyrion Lannister são as duas personagens com menor probabilidade de morrer HBO

Um grupo de estudantes desenvolveu um algoritmo capaz de prever quem são as personagens com maior probabilidade de morrer na última temporada de A Guerra dos Tronos que tem estreia marcada para este Domingo

Pouco antes de a cortina para a última temporada cair, os alunos que participaram num seminário de ciência da computação na Universidade Técnica de Munique (TUM) embarcaram numa missão científica que não é considerada comum: prever qual o personagem que tem mais hipótese de se sentar no cobiçado Trono de Ferro.

“Os alunos desenvolveram uma aplicação que faz uma busca profunda na web à procura de dados sobre A Guerra dos Tronosque depois analisa os números recolhidos através de algoritmos de inteligência artificial criados para prever as hipóteses de sobrevivência de cada um dos personagens da série”, lê-se no comunicado da universidade alemã. As duas principais fontes de informação da equipa foram duas páginas web que são conhecidas por albergarem trívia sobre a série: The Wiki of Ice and Fire e Game of Thrones Wiki.

Já em 2016, pouco antes da transmissão da 6ª temporada da série, os mesmos alunos criaram um algoritmo que previu com precisão a ressurreição de Jon Snow.

PÚBLICO -
Foto
O website criado pelos alunos da Universidade Técnica de Munique Technical University of Munich (TUM)

Segundo o comunicado da universidade, é possível prever as taxas de sobrevivência usando uma análise de longevidade, uma técnica semelhante à utilizada em estudos científicos que examinam os efeitos dos tratamentos e complicações em pacientes com cancro.

Para uma análise mais visual, os estudantes criaram um website que tem como título A Song of Ice and Data (uma clara referência à obra de George R.R. Martin), As Crónicas de Gelo e Fogo (no original em inglês: A Song of Ice and Fire, a saga de livros que inspirou a série televisiva)​ onde é possível aceder a informação sobre quem morre, quando morre, porque morre e quais os factores que têm influência em tudo isto.

O algoritmo agora desenvolvido pelos estudantes prevê que a personagem com maior probabilidade de sobreviver é Daenerys Targaryen (99%). O seu Mão do Rei (Hand of the King, em inglês), Tyrion Lannister, também tem uma taxa de sobrevivência promissora de 97%.

Na sua página, o grupo de estudantes explica que utiliza técnicas de machine learning que permitem que os computadores façam previsões com base numa amostra suficientemente grande de exemplos do passado, para compilar automaticamente estatísticas e prever se um evento ocorrerá ou não no futuro e qual a sua probabilidade. 

“A série é conhecida por matar muitos personagens, mesmo os principais. Poucos personagens morrem de velhice, a maioria encontra um fim violento. A morte é um acaso ou só acontece àqueles que são seleccionados ou que exibem características semelhantes? Os factores podem ser a idade, herança e o género, por exemplo. Queríamos encontrar factores que fossem comuns a todos os personagem já mortos e usar esses recursos para prever a probabilidade de morte em percentagem para quem ainda está vivo, para assim respondermos à pergunta: quem morrerá a seguir?”, explicam os estudantes.

PÚBLICO -
Foto
O grupo de alunos responsáveis pelo projecto Technical University of Munich (TUM)

O primeiro modelo utilizado baseou-se em técnicas relacionadas com o método Bayesean Inference, um método estatístico de grande precisão, para examinar a relação de diferentes características com a longevidade de uma personagem. As características seleccionadas foram a casa a que a personagem pertence, as relações amorosas que teve/tem, o casamento, o seu título, se é uma personagem principal ou secundária e se é homem ou mulher. 

“Todos os anos da vida de um personagem há uma probabilidade básica de que essa personagem morra. Este grau de perigo é o mesmo para todos, e a presença ou ausência de certas propriedades é o que faz com que alguns personagens tenham maior probabilidade de morrer do que outros. Por exemplo, ser homem pode aumentar o risco de morrer até 60% e ser da Casa Lannister pode diminuir essa probabilidade em 50%”, detalha a página.

Outro exemplo: nascer em Winterfell, na Casa Stark e casar-se apenas uma vez parece aumentar as chances de Sansa Stark de ser eliminada na temporada que estreia este Domingo. A probabilidade da filha de Ned e Catelyn Stark morrer é de 73% até ao momento.

O trabalho que incluiu o algoritmo que calcula as hipóteses de sobrevivência faz parte de um seminário de JavaScript (uma linguagem de programação) leccionado todos os semestres no departamento de ciência da computação da Universidade Técnica de Munique. Durante o curso, os alunos aprendem a projectar, desenvolver e implementar sistemas de computação inteligentes.

No comunicado da instituição de ensino superior alemã, o professor de Bioinformática ​Burkhard Rost afirma que “a combinação da paixão e do ensino é uma maneira brilhante de criar novas ferramentas que fazem a diferença. No nosso curso, encontramos uma maneira divertida de ensinar os alunos a usar esta tecnologia e a prepará-los para construir a próxima grande novidade quando se formarem”, lê-se no documento da Universidade Técnica de Munique.