Portugal coloca dívida a 10 anos com juros em novo mínimo de sempre

Foram colocados 600 milhões de euros em Obrigações do Tesouro com maturidade em 2029 à taxa de juro de 1,143%.

Foto
Reuters/AMANDA PEROBELLI

Portugal colocou esta quarta-feira 1.000 milhões de euros, montante máximo anunciado, em Obrigações do Tesouro (OT) a 10 e 18 anos, com juros a caírem de novo para mínimos de sempre no prazo mais curto, foi anunciado.

Segundo a página do IGCP, agência que gere a dívida pública, na agência Bloomberg, foram colocados 600 milhões de euros em OT com maturidade em 15 de Junho de 2029 (cerca de 10 anos) à taxa de juro de 1,143%, um novo mínimo de sempre, abaixo da registada em 13 de Março, 1,298%, anterior mínimo histórico.

A procura das OT a 10 anos cifrou-se em 1.367 milhões de euros, 2,28 vezes o montante colocado.

No anterior leilão a dez anos, realizado em 13 de Março, Portugal colocou 862 milhões de euros em OT com maturidade em 15 de Junho de 2029 (cerca de 10 anos) à taxa de juro de 1,298%, um novo mínimo de sempre, abaixo da registada em 13 de Fevereiro, 1,568%.

Em OT com maturidade em 15 de Abril de 2037 (cerca de 18 anos) foram colocados esta quarta-feira 400 milhões de euros à taxa de juro de 1,896%, tendo a procura atingido 732 milhões de euros, 1,83 vezes o montante colocado.

Em relação às OT a 18 anos, o anterior leilão com o prazo mais similar foi o realizado em 13 de Fevereiro deste ano, quando Portugal colocou 295 milhões de euros em OT com maturidade em 18 de Abril de 2034 (cerca de 15 anos) à taxa de juro de 2,045%, abaixo da do anterior leilão comparável de 11 de Julho de 2018 (2,257%).

A procura atingiu 675 milhões de euros, 2,29 vezes o montante colocado.

O IGCP, agência que gere a dívida pública, tinha anunciado para esta quarta-feira a realização de dois leilões de OT com maturidades em 15 de Junho de 2029 (cerca de dez anos) e em 15 de Abril de 2037 (cerca de 18 anos) num montante indicativo global entre 750 e 1.000 milhões de euros.