Pensionistas começam a receber hoje subsídio de Natal por inteiro

Ao todo são 2,5 milhões de pensionistas da Segurança Social que, juntamente com a pensão, recebem a totalidade do subsídio. Nos últimos cinco anos, o pagamento foi fraccionado.

Foto
Pela primeira vez em cinco ano, os pensionistas recebem o subsídio de Natal por inteiro Daniel Rocha

A maioria dos pensionistas da Segurança Social começa a receber a pensão de Dezembro nesta segunda-feira, altura em que receberão também o subsídio de Natal na totalidade.

O ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva, publicou nesta segunda-feira uma mensagem dirigida a todos os pensionistas para os lembrar de que foi reposta a normalidade no pagamento do subsídio de Natal que, desde 2013, estava a chegar ao bolso das pessoas em duodécimos.

“São dois milhões e 500 mil pensionistas que a partir deste ano recuperam o subsídio de Natal como sempre o tinham recebido: pago a 100% e de uma só vez perto do Natal”, lê-se na nota divulgada à comunicação social.

As cerca de 500 mil pessoas que têm pensões da Caixa Geral de Aposentações também já receberam a totalidade do subsídio de Natal com o pagamento da pensão de Novembro.

Desde 2013, o pagamento do subsídio de Natal dos pensionistas passou a ser feito em duodécimos, ou seja, dividido pelos 12 meses do ano, para responder ao aumento dos impostos decidido pelo Governo PSD/CDS no quadro da intervenção da troika. Em 2017, o Governo do PS decidiu pagar metade da prestação em duodécimos e a outra metade próximo do Natal. E, finalmente, em 2018 foi reposto o regime normal e o subsídio de Natal voltou a ser pago por inteiro nos meses de Novembro e Dezembro a todos os pensionistas.

No próximo ano, além do aumento decorrente do andamento dos preços e da evolução da economia, as pensões mais baixas terão um aumento extraordinário logo em Janeiro.

O aumento extraordinário destina-se aos pensionistas (da Segurança Social e da Caixa Geral de Aposentações) que têm um rendimento global de pensões à volta de 645 euros (o valor correspondente a 1,5 vezes valor do Indexante de Apoios Sociais que ainda não está fixado para 2019).

Quem teve as reformas congeladas entre 2011 e 2015 terá dez euros de aumento total (a soma entre o aumento automático e o aumento extra) face a Dezembro de 2018. Quem teve actualizações (o primeiro escalão das pensões mínimas, as pensões rurais e as sociais) durante esse período terá um aumento total de seis euros.