O Musicbox faz 12 anos e vai ter três dias de festa

Pedro Mafama, Môrus, Sunflowers, Ms. Nina, Shaka Lion, Sensible Soccers, Nuno Lopes, Dupplo e Bateu Mateu com Blaya, Scúru Fitchádu e Progressivu vão ser as atracções da celebração do clube do Cais do Sodré entre quinta-feira e sábado.

Foto
Ms Nina, a cantora de neoperreo/reggaetón madrilena, é um dos destaques do aniversário do Musicbox. DR

A festa do Musicbox dura três noites, de quinta-feira a sábado. Tudo para assinalar os 12 anos do espaço do Cais do Sodré, que já viu aquela zona de Lisboa mudar várias vezes desde que chegou ao antigo Texas Bar no túnel por baixo da Rua do Alecrim.

Tudo começa na quinta-feira, às 21h30, com uma primeira leva de concertos de entrada gratuita – dentro da lotação possível, claro. O rol de artistas inclui Pedro Mafama, cuja pop electrónica vai beber ao r&b, ao hip-hop, ao trap e a várias outras batidas como o kuduro ou a kizomba, mas também ao fado filtrado por auto-tune, Môrus, duo de rock (e não só) com o seu quê de psicadelismo inspirado por nomes como Fausto, de cuja Porque não me vês até têm uma versão em Borba, o primeiro EP saído em Setembro (mas cujas canções longas deixam espaço para muita paisagem instrumental), e outro duo, os Sunflowers, portuenses dados ao garage-rock/punk/psych que lançaram Castle Spell em Fevereiro.

"A quinta-feira é o dia tradicionalmente de entrada livre, com bandas que acreditamos que vão adicionar algo à cena nacional no ano seguinte", explica ao PÚBLICO Pedro Azevedo, o programador. "E se isso não se aplica aos Sunflowers", que já andam há uns tempos nisto, "aplica-se sem dúvida ao Pedro Mafama e aos Môros".

Mais tarde, já com entrada paga, actua Ms Nina, a cantora madrilena de neoperreo/reggaetón feminista completamente entrosada com a Internet, e responsável por canções como Tu sicaria ou Rico rico. "É perreo, como se diz na Europa, onde as pessoas ainda têm medo de dizer que gostam de reggaetón. Eu próprio ponho música dela", comenta o programador (e DJ, sob o nome o nome La Flama Blanca). Por fim, chegará Shaka Lion, o ecléctico DJ do Barreiro.

Na sexta-feira, dá-se o regresso, para um concerto, dos Sensible Soccers, a banda de electrónica/ambiente/kraut/dança que ensaia e trabalha em Fornelo, Vila do Conde. "Estão a preparar um novo disco. Não sei se vão tocar coisas novas, não quero que seja uma promessa", adianta o programador. A essa actuação seguem-se sets de Nuno Lopes e Dupplo.

Por fim, no sábado, Bateu Matou, a banda que une três bateristas: Ivo Costa, que toca com Carminho, Sara Tavares ou Batida (entre muitos outros nomes), Joaquim Albergaria, dos PAUS, e Rui Pité, ou DJ Riot, ex-Buraka Sistema. Trarão três convidados já anunciados: Blaya, Scúru Fitchádu e Progressivu. "São uma banda residente do Musicbox que fez agora um ano de residência. Vão ter uma série de surpresas, há outros convidados que não foi possível anunciar, mas estão confirmados e são nomes conhecidos da nossa praça", acrescenta Pedro Azevedo.

"Acho que a programação está em aniversário o mês inteiro, tendo em conta a quantidade de nomes portugueses que vamos ter", diz ainda, referindo-se às agendadas actuações de Glockenwise, Sequin, Madrepaz, a que se juntam uma reunião d'Os Pontos Negros para assinalar os dez anos de Magnífico Material Inútil, quatro noites de Linda Martini, uma de Capitão Fausto, comédia com o Jovem Conservador de Direita, Ganso e NERVE.