Trump faz troça do depoimento de Christine Blasey Ford, uma das acusadoras de Kavanaugh

Durante um comício, Donald Trump descredibilizou e ridicularizou as acusações de Christine Blasey Ford, que acusou o candidato ao Supremo Tribunal de tentativa de violação.

Fotogaleria
Donald Trump durante o comício em Southaven, Mississippi LUSA/BRANDON DILL
Fotogaleria
LUSA/BRANDON DILL
Fotogaleria
LUSA/BRANDON DILL
Fotogaleria
Reuters/JONATHAN ERNST
Fotogaleria
Reuters/JONATHAN ERNST

O Presidente dos Estados Unidos fez troça do depoimento da professora universitária Christine Blasey Ford, uma das três mulheres que acusam o juiz Brett  Kavanaugh de as ter atacado e tentado violar. As declarações foram feitas na terça-feira, durante um comício no estado do Mississípi.

Trump afirmou que "se vivem tempos muito assustadores para os jovens americanos", que podem agora ser considerados culpados mesmo que estejam inocentes, numa referência às acusações de abuso sexual contra o juiz nomeado para o Supremo Tribunal.

Como é feita a nomeação para o Supremo Tribunal dos EUA

As frases foram proferidas cinco dias depois da audição de Blasey Ford perante o Comité Judicial do Senado, onde admitiu não se lembrar de pormenores da sua história, mas garantiu ter "100% de certeza de que foi Brett Kavanaugh" quem a atacou no Verão de 1982, quando eram ambos adolescentes.

Foi precisamente a essas falhas de memória que Trump se referiu no comício, ainda que há dias tivesse afirmado que o depoimento de Ford no Senado fora "muito credível". "Pareceu-me que o seu discurso foi convincente e ela parece-me ser uma óptima mulher", disse Trump na semana passada.

Agora, o seu discurso mudou: "Só bebi uma cerveja!", troçou Trump, imitando Ford. "Como é que chegou a casa?", perguntou o Presidente norte-americano, imitando a procuradora que dirigiu o inquérito e fazendo uma série de questões com a resposta "não me lembro".

"Como é que chegou lá?", "não me lembro"; "Que sítio era este?", "não me lembro"; "Há quantos anos foi?", "não sei"; "Em que bairro ficava?", "não sei"; "Foi no andar de cima ou de baixo?", "não sei". "Mas só bebi uma cerveja", continuou Trump, enquanto os seus apoiantes se riam e aplaudiam. "E a vida de um homem fica arruinada", concluiu Trump.

Podcast Fogo e Fúria: um juiz no meio da luta entre republicanos e democratas

Na semana passada, Brett Kavanaugh deu uma entrevista ao canal Fox News em que se apresentou como vítima de uma campanha negra, reafirmou a sua inocência e disse que, embora bebesse como qualquer outro jovem da altura, nunca bebeu até não se lembrar do que estava a fazer e manteve-se virgem até anos depois do ensino secundário. Vários antigos colegas do juiz vieram a público desmenti-lo.

"Vi Brett Kavanaugh a beber de forma excessiva em muitas dessas festas e a ser fisicamente agressivo com as raparigas, a agarrar-se a elas sem consentimento e a tentar retirar ou afastar as suas roupas para expor partes do corpo", diz Julie Swetnick, outra das mulheres que deram a cara para acusar Kavanaugh. Para além de Blasey e Swetnick, também Deborah Ramirez acusa o juiz de conduta imprópria.

As acusações contra Kavanaugh estão a ser investigadas pelo FBI, a pedido do Comité Judicial, em específico de um dos seus membros, o senador republicano Jeff Flake.