Uma vitória para as solas vermelhas de Louboutin

De acordo com um parecer do Tribunal Europeu de Justiça, o criador terá direito a proteger as suas icónicas solas vermelhas.

Sapato, Miami Design District, sapato de corte
Foto
DR

Na longa batalha pela protecção das famosas solas vermelhas, Louboutin acaba de celebrar uma vitória. Esta terça-feira o Tribunal Europeu de Justiça decidiu que estas não consistem apenas num formato – algo que não é normalmente protegido por lei. "Uma marca consistente de uma cor aplicada à sola de um sapato não está sob a proibição do registo de formatos", conclui o parecer júri europeu, citado pela Bloomberg

A decisão vai assim contra aquilo que o advogado-geral do Tribunal Europeu de Justiça, o polaco Maciej Szpunar, tinha dito em Fevereiro: que poderia ser recusada a patente da combinação de forma e cor, de acordo com o Guardian.

O conflito judicial já é de longa data. Em causa está a marca holandesa Van Haren, que Louboutin processou em 2012 para impedir que vendesse sapatos com a mesma icónica sola vermelha. A marca – que na altura tinha sapatos para mulheres com sola vermelha a preços mais acessíveis –, defendeu que a patente de Louboutin era inválida e o caso foi remetido para o Tribunal Europeu de Justiça. Agora que o tribunal deu o seu parecer, o caso passará novamente para as mãos da justiça holandesa.

Em comunicado, citada pela Bloomberg, a marca já veio comentar a decisão: "A cor vermelha aplicada à sola dos sapatos de salto alto de uma mulher é uma marca de posicionamento, que a maison Christian Louboutin tem mantido ao longo de muitos anos. Em 26 anos, a sola vermelha permitiu ao público atribuir a origem do sapato ao seu criador." No mesmo texto, comenta ainda que espera que o tribunal "confirme a validade da patente".