Kim vai receber Assad e encontrar-se com Putin

Caso se confirme oficialmente, o Presidente sírio será o primeiro chefe de Estado a ser recebido por Kim Jong-un em Pyongyang.

Kim Jong-un, Coreia do Sul, Estados Unidos da América, Kalma Airport
Foto
Nos últimos meses, Kim Jong-un já esteve com Moon Jae-in e com Xi Jinping reuters

O Presidente sírio, Bashar al-Assad, vai ser recebido pelo líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Pyongyang, naquela que poderá ser a primeira visita oficial de um chefe de Estado ao país desde que o actual líder subiu ao poder. O Kremlin também confirmou esta segunda-feira que Kim foi convidado para um encontro com o Presidente russo, Vladimir Putin, em Setembro.

A notícia da visita de Assad a Pyongyang foi revelada pela agência estatal norte-coreana KCNA, que citava o próprio Presidente sírio, mas não avançava qual a data prevista para o encontro.

O anúncio – que não foi confirmado oficialmente – pode trazer uma nova onda de desconforto para as relações entre a Coreia do Norte e os EUA, a cerca de uma semana da cimeira entre Kim e Donald Trump.

Os EUA acusam Assad de cometer crimes de guerra contra a população civil e, em Abril, Washington liderou um ataque coordenado contra alvos militares, em resposta à alegada utilização de armas químicas na cidade de Douma, poucos dias antes.

A Coreia do Norte e a Síria são aliados tradicionais e os serviços de informação norte-americanos acreditam mesmo que o regime norte-coreano terá vendido tecnologia militar a Damasco, incluindo mísseis balísticos e armamento químico.

A eventual confirmação da visita de Assad a Pyongyang terá um efeito “horrível” para a imagem de Kim Jong-un, diz ao New York Times a analista do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, Sue Mi Terry. “Receber Assad, um dos piores carniceiros do planeta, como primeiro líder estrangeiro convidado não é uma boa decisão em termos de relações públicas”, acrescenta.

Putin em Setembro e Trump a 12 de Junho

Na agenda de Kim está também uma visita ao Presidente russo, marcada para Setembro, por ocasião do Fórum Económico do Oriente, em Vladivostok. O convite foi enviado através do ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, que se encontrou com Kim em Pyongyang na semana passada.

Depois de uma fase inicial em que se manteve isolado dos seus homólogos estrangeiros, Kim Jong-un, o terceiro líder norte-coreano da dinastia iniciada pelo seu avô, Kim Il-sung, tem-se desdobrado em iniciativas diplomáticas.

Desde o início do ano, Kim já se encontrou com o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, por duas vezes na zona desmilitarizada que divide os dois países, e deslocou-se a Pequim para se reunir com o líder chinês, Xi Jinping. Para dia 12 está marcado um encontro histórico com Donald Trump, em Singapura.