Líderes das Coreias já podem falar como “vizinhos do lado”

Foi posta em funcionamento uma ligação telefónica entre Kim Jong-un e Moon Jae-in para que ambos preparem a cimeira da próxima semana.

Foto
Funcionários sul-coreanos testam ligação directa com Pyongyang EPA/ROK PRESIDENTIAL OFFICE / HANDOUT

Foi estabelecida esta sexta-feira uma ligação telefónica directa entre os dois líderes coreanos, a uma semana da cimeira que os vai juntar.

Foi realizada uma chamada para testar a ligação e espera-se que o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, falem directamente para preparar o encontro de dia 27, marcado para a aldeia de Panmunjom, na zona desmilitarizada.

“A qualidade da ligação foi muito boa e sentimos como se fosse uma chamada feita pelo nosso vizinho do lado”, descreveu o dirigente do gabinete presidencial, Youn Kun-young, durante uma conferência de imprensa. Não há, no entanto, qualquer data planeada para que a chamada entre Moon e Kim se realize.

Há uma forte expectativa em torno da cimeira entre os líderes das duas Coreias, que não se realiza desde 2007. O encontro acontece num contexto de reaproximação entre os dois países, em que se destacam os vários sinais dados por Pyongyang de que está disponível para negociar uma potencial suspensão do seu programa de armamento nuclear. Em cima da mesa está também a possibilidade de se avançar para a assinatura de um tratado de paz que ponha um fim formal à Guerra da Coreia – foi apenas assinado um armistício em 1953.

A cimeira inter-coreana tem a importância reforçada de servir também como antecipação do inédito encontro entre Kim e o Presidente norte-americano, Donald Trump, que deverá acontecer poucas semanas depois. No final de Março, o futuro secretário de Estado, Mike Pompeo, esteve em Pyongyang para falar com Kim.

Na quinta-feira, Moon garantiu que o líder norte-coreano está preparado para concordar com a desnuclearização da península “sem impor condições que os EUA não possam aceitar, como a retirada de tropas norte-americanas da região”. Da parte de Pyongyang não houve qualquer comentário a estas declarações de Moon.

Esta sexta-feira, o comité central do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte reúne-se em sessão plenária, onde se espera que seja discutida a estratégia para a cimeira com o Sul e também com Trump. O partido pretende discutir “questões políticas” relacionadas com “um importante período histórico do desenvolvimento da revolução coreana”, de acordo com a agência estatal KCNA.

Podcast Fogo e Fúria: As Coreias a caminho da paz e Trump a caminho do Nobel?