Dos pins aos tecidos africanos: o que vestiram os congressistas no Estado da União

Além do discurso Trump muito foi dito também pela plateia, não por palavras, mas através das roupas que escolheram usar.

Fotogaleria
Alguns dos convidados exibiram um pin encarnado a representar Recy Taylor – uma mulher negra do estado de Alabama que foi raptada e violada por seis homens brancos em 1944 LUSA/JIM LO SCALZO
Fotogaleria
Seguindo o exemplo dos Globos de Ouro, várias congressistas democratas foram vestidas de preto LUSA/JIM LO SCALZO
Fotogaleria
Hoyer and Pelosi react as U.S. President Trump delivers his State of the Union address in Washington House Minority Whip Steny Hoyer and Speaker of the House Nancy Pelosi react to U.S. President Donald Trump's State of the Union address to a joint session of the U.S. Congress on Capitol Hill in Washington, U.S. January 30, 2018. REUTERS/Jonathan Ernst Reuters/JONATHAN ERNST
Fotogaleria
Vários senadores – inclusive Bernie Sanders, Elizabeth Warren e Joe Manchin – levaram na lapela laços roxos, que simbolizavam uma das problemáticas que mais afecta a sociedade norte-americana actualmente, a crise dos opiáceos Reuters/JONATHAN ERNST
Fotogaleria
Alguns dos congressitas negros do partido democrata apresentaram-se com o tecido originário de África, kente Reuters/JONATHAN ERNST
Fotogaleria
Alguns dos congressitas negros do partido democrata apresentaram-se com o tecido originário de África, kente,Alguns dos congressitas negros do partido democrata apresentaram-se com o tecido originário de África, kente Reuters/LEAH MILLIS,Reuters/LEAH MILLIS
Fotogaleria
Já é comum que as cores da bandeira nacional sobressaiam na bancada republicana, mas desta vez tratou-se de um esforço de grupo consciente Reuters/JONATHAN ERNST
Fotogaleria
Melania Trump destacava-se claramente na bancada onde estava sentado – ao lado de alguns dos seus convidados – com um fato branco da Dior Reuters/JONATHAN ERNST
Fotogaleria
A sala do Congresso durante o discurso de Trump LUSA/JIM LO SCALZO
Fotogaleria
A sala do Congresso durante o discurso de Trump LUSA/MICHAEL REYNOLDS

Na plateia do primeiro discurso de Estado da União de Trump, esta terça-feira, valia a pena olhar com alguma atenção para quem estava a assistir. Ninguém se vestiu ao acaso. Por um lado, havia as congressistas que já tinham anunciado que iriam vestidas de preto, em sinal de apoio aos movimentos #MeToo e Time's Up. Por outro, os pins e laços para representar variadas causas. Depois, estavam os membros do Congresso vestidos de kente – um tecido colorido originário do Gana – e as cores da bandeira norte-americana em destaque na bancada conservadora.

Numa categoria à parte, Melania Trump escolheu um fato branco. Causou alguma confusão, dado que quando no ano passado Donald Trump falou às duas câmaras do congresso – num discurso que tecnicamente, não se chamava ainda Estado da União – várias mulheres democratas escolheram essa mesma cor, para mostrarem o seu apoio pelos direitos das mulheres (e indirectamente criticarem as acções do Presidente).

Nesta sessão do Congreso, aparentemente, todos tinham algo para dizer e escolheram a indumentária para o fazer. Olhemos, então, para as escolhas de roupa e acessórios:

Congressistas de preto

Seguindo o exemplo dos Globos de Ouro, várias congressistas democratas foram vestidas de preto. "Estamos a apoiar as mulheres corajosas que se estão a fazer ouvir. Estamos num momento de mudança na luta nacional contra assédio sexual e discriminação e temos de manter o ritmo da acção, para haver verdadeiras mudanças", justifica a líder dos democratas da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, citada pela Refinery 29. Para Carolyn Maloney, do estado de Nova Iorque, "o movimento #MeToo e Time's Up estão ligados a uma mensagem muito importante: unidade". 

PÚBLICO -
Foto

Pin encarnado

Alguns dos convidados exibiram um pin encarnado a representar Recy Taylor – uma mulher negra do estado de Alabama que foi raptada e violada por seis homens brancos em 1944 e que Oprah inclusive mencionou no seu célebre discurso dos Globos de Ouro. "Não podemos esquecer as muitas mulheres marginalizadas que decidiram falar e que por muito tempo foram ignoradas", escreveu no Twitter a congressista Bonnie Watson Coleman, acrescentando a importância de reconhecer "o falhanço do sistema judicial em aplicar justiça". Recy Taylor denunciou na altura o crime, mas os homens nunca foram a tribunal, apesar de toda a atenção mediática que o caso gerou.

PÚBLICO -
Foto

Pin Time's Up

O pin Time's Up, que tem invadido as cerimónias de entregas de prémios, também entrou no Congresso. Nancy Pelosi e Steny Hoyer foram dois dos democratas que decidiram usar o pin criado pela organização apoiada por mulheres que querem pôr fim às injustiças e desigualdades no trabalho.

PÚBLICO -
Foto

Laço Roxo

Vários senadores – inclusive Bernie Sanders, Elizabeth Warren e Joe Manchin – levaram na lapela laços roxos. Estes simbolizavam uma das maiores problemáticas da sociedade norte-americana actualmente, a crise dos opiáceos. O abuso destes medicamentos tem causado a morte de dezenas de milhares de americanos por ano e em Outubro de 2017, Trump declarou uma "emergência de saúde pública".

PÚBLICO -
Foto

Tecido kente

Alguns dos congressistas negros do partido democrata apresentaram-se com o tecido originário de África kente, de acordo com a congressista Alma Adams, "em honra dos países que o POTUS [o Presidente dos Estados Unidos] proclamou de 'merdosos' na semana passada".

As cores da bandeira

Se azul é tipicamente associado ao partido democrata e o vermelho ao republicano, a junção dos dois com branco faz as cores nacionais. Já é comum que estas sobressaiam na bancada mais conservadora do Congresso, mas desta vez tratou-se de um esforço consciente de grupo. "Queremos mostrar patriotismo ao nosso país", conta a congressista republicana Mimi Walters à CNN.

PÚBLICO -
Foto

Melania de branco

Foi uma escolha estranha para muitos e não passou despercebida a quase ninguém. Melania Trump destacava-se claramente na bancada onde estava sentado – ao lado de alguns dos seus convidados – com um fato branco da Dior (e uns saltos altos Christian Louboutin), de acordo com a Vogue. "Exactamente o tipo de conjunto que se tornou o símbolo da rival do seu marido, Hillary Clinton", escreve o New York Times, em referência àquele que a ex-senadora usou no discurso da convenção Democrata, em Julho de 2016. É também uma cor simbólica das sufragistas, que as congressistas democratas escolheram no ano passado em defesa dos direitos das mulheres – e "uma espécie de uniforme anti-Trump", menciona ainda o jornal americano.

PÚBLICO -
Foto

Este evento foi a primeira vez que Melania apareceu no mesmo espaço que o marido desde que foram tornadas públicas as alegações de que um advogado de Trump terá pago à actriz porno Stormy Daniels para manter o silêncio sobre um encontro sexual com o multimilionário em 2006 – quando Melania e Trump já estavam casados.