Abuso de opiáceos leva Trump a declarar “emergência de saúde pública”

Consumo de analgésicos e medicamentos opiáceos provocou a morte de 64 mil pessoas nos EUA só no ano passado.

Trump assinou o decreto presidencial acompanhado por pais que perderam filhos devido ao consumo de analgésicos opiáceos e de polícias que combatem o tráfico de droga
Foto
Trump assinou o decreto presidencial acompanhado por pais que perderam filhos devido ao consumo de analgésicos opiáceos e de polícias que combatem o tráfico de droga Reuters/KEVIN LAMARQUE

Donald Trump declarou nesta quinta-feira a crise do consumo de medicamentos opiáceos como uma “emergência de saúde pública”, cumprindo uma promessa que havia feito há alguns meses. Esta decisão permite a transferência de mais fundos federais e estatais para a luta contra o consumo de opiáceos, que só no ano passado provocou a morte a 64 mil pessoas nos Estados Unidos.

Considerando o abuso de opiáceos como uma “vergonha nacional”, Trump assinou um decreto presidencial, numa cerimónia em que esteve acompanhado por pais que perderam filhos devido ao consumo de analgésicos opiáceos e de polícias que combatem o tráfico de droga. A medida vai flexibilizar algumas regulamentações para que os estados norte-americanos tenham maior acesso aos fundos federais a investir no combate ao abuso de medicamentos como o OxyContin ou o Vicodin.

A medida de Trump instrui o Departamento da Saúde e Serviços Humanitários a contratar mais pessoas para fazer frente à crise, assim como exige que todas as agências federais tomem medidas para combater o abuso no consumo destas substâncias, particularmente nas áreas rurais.

Segundo os dados citados pelo Presidente norte-americano, obtidos pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças, só no ano passado morreram 64 mil pessoas por overdose provocados por analgésicos opiáceos, incluindo heroína. Segundo estes cálculos, morreram 175 pessoas por dia e sete por hora em 2016. “Estas overdoses são provocadas pelo aumento massivo na adição de analgésicos, heroína e outros opiáceos”, declarou Trump, citado pela BBC. “Os EUA são de longe o maior consumidor destas drogas utilizando mais comprimidos opiáceos por pessoa do que qualquer outro país no mundo”, disse ainda.

No entanto, e como lembra a BBC, a Administração pretende financiar este combate através do Fundo Público para Emergência de Saúde que contém apenas 57 mil dólares (cerca de 42,4 mil euros), o que já levou a algumas críticas de especialistas e de membros do Partido Democrata que alegam que a medida surge, por um lado, com atraso e, por outro, não é forte o suficiente para conter o abuso destas substâncias. Por isso, e segundo informaram fontes oficiais à BBC, Trump pretende agora negociar com o Congresso a disponibilização de mais fundos.