Trump mantém acordo nuclear mas anuncia novas sanções

O Presidente norte-americano não rasga o acordo firmado durante a Administração Obama, mas avança com sanções à margem do dossiê e diz que esta é a "última oportunidade" para "corrigir" o acordo.

Reuters/Carlos Barria
Foto
Reuters/Carlos Barria

Donald Trump anunciou hoje a manutenção do levantamento das sanções económicas que foi decidido no âmbito do acordo nuclear com o Irão. Esta sexta-feira chegava ao fim o prazo que o Presidente norte-americano tinha para decidir se mantém o acordado com Teerão – acordo que tem criticado recorrentemente e ameaçado rasgar. Trump afirma que esta é a "última oportunidade" para "corrigir" o acordo.

Como já havia sido antecipado, Trump mantém, e pelo menos por agora, o acordo nuclear alcançado por Barack Obama e assinado por outras seis potências mundiais.

No entanto, Washington vai impor novas sanções contra o Irão à margem do acordo. Trump encontrou-se com os seus assessores de segurança nesta quinta-feira numa reunião onde foi aconselhado a manter a suspensão das sanções prevista no acordo mas a impor outras fora do âmbito dessa negociação.

O Presidente norte-americano aceitou este conselho e foca-se noutros aspectos da governação de Teerão, tal como a repressão contra as manifestações das últimas semanas. O Departamento do Tesouro anunciou assim sanções a 14 entidades e indivíduos iranianos por abuso dos direitos humanos.

Em comunicado, Trump anunciou a medida e afirmou que esta é a “última oportunidade” para corrigir as “falhas terríveis” do acordo. “Esta é a última oportunidade”, cita a Reuters. “Na ausência de tal acordo, os EUA não vão renunciar outra vez a sanções para permanecer no acordo nuclear com o Irão. E se, em qualquer momento, eu julgar que tal acordo não está ao alcance, vou desistir do acordo imediatamente”, disse. 

Esta quinta-feira, os chefes da diplomacia da União Europeia reuniram-se em Bruxelas com o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohammed Javad Zarif, sobre o programa de mísseis do país e o papel de Teerão no apoio a Bashar al-Assad na guerra da Síria. No final do encontro, os representantes europeus reiteraram o seu apoio ao acordo nuclear.

Na terça-feira, Trump terá também de informar formalmente o Congresso se o Irão está ou não a cumprir com o estabelecido no acordo nuclear – algo que tem de fazer a cada três meses.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações