Ministério do Ambiente confirma contestação em Bruxelas da decisão espanhola.

  • Ministério do Ambiente confirma contestação em Bruxelas da decisão espanhola.

  • A eleição de Trump e a atitude do Irão poderão ter efeitos neste documento que entrou em vigor há um ano. As presidenciais iranianas estão a ser vistas como um referendo ao acordo. A questão é, a que acordo, se os EUA o tentarem alterar.

  • A Comissão Europeia admitiu que ainda não recebeu a queixa formal de Lisboa, mas, quando isso acontecer, promete analisar se há "um impacto significativo".

  • O desfecho não é o ideal. A expectativa agora é que a União Europeia imponha a avaliação dos impactos do aterro na central nuclear espanhola.

  • Almaraz funciona desde 1981 e contabiliza mais de meia centena de incidentes, dizem os relatórios ?dos ambientalistas baseados na autoridade de segurança nuclear. Último incidente grave foi em Julho.

  • A porta-voz da Greenpeace para o Nuclear diz que os países vizinhos não podem fazer muito em casos destes.

  • Ministro do Ambiente recusa proposta. Portugal avança com queixa a Bruxelas após falhar acordo com Espanha. Licença para viabilizar a construção de armazém para resíduos nucleares em Almaraz demorará pelo menos um ano.

  • Na manifestação frente ao consulado de Espanha participaram muitos cidadãos anónimos mas também líderes de movimentos ecologistas e de partidos políticos em Portugal e Espanha.

Viva experiências, seja exclusivo, desafie os limites da
melhor informação

Saiba mais