Elementos disponibilizados nesta segunda-feira pela Agência Portuguesa do Ambiente sobre o armazém de resíduos nucleares de Almaraz já tinham sido divulgados publicamente pelas autoridades espanholas

  • Elementos disponibilizados nesta segunda-feira pela Agência Portuguesa do Ambiente sobre o armazém de resíduos nucleares de Almaraz já tinham sido divulgados publicamente pelas autoridades espanholas

  • Apesar do receio provocado pelos níveis de radiação, 27 mil pessoas foram avisadas de que deveriam regressar às casas que abandonaram, sob risco de perderem os seus subsídios de habitação. O Governo japonês tem sido acusado de ignorar os efeitos a longo termo da radiação na saúde das pessoas.

  • A delegação portuguesa, chefiada pelo presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, remeteu a publicação de uma primeira apreciação para daqui a duas semanas.

  • A visita, “na ausência de imprensa e de observadores independentes”, converteu-se numa simples cortesia, “que evitará uma inspecção da central em profundidade”, afirma o MIA.

  • Contrapartidas negociadas com a Comissão Europeia e/ou Espanha e que “seduziram” Portugal para a retirada da queixa tem se ser esclarecidas, dizem os ambientalistas.