Ex-reitor do Algarve lidera investigação aos fogos

Comissão técnica já está pronta. Cabe ao presidente marcar primeira reunião para definir os trabalhos.

Incêndio de Pedrógão matou 64 pessoas a 17 de Junho
Foto
Incêndio de Pedrógão matou 64 pessoas a 17 de Junho Daniel Rocha

A comissão técnica independente para avaliar o que se passou nos incêndios de Pedrógão Grande será presidida por João Guerreiro, antigo reitor da Universidade do Algarve e ex-presidente da Comissão Coordenação de Desenvolvimento Regional daquela região entre 1996 e 2003. O nome foi indicado pelo Conselho de Reitores da Universidades Portuguesas que já entregou também os restantes elementos ao presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues.

Proposta pelo PSD e aprovada por unanimidade no Parlamento, a comissão técnica independente ficou assim completa. Cabe ao presidente da estrutura tomar a iniciativa de marcar uma primeira reunião para se poder definir o calendário e em que moldes vai realizar o seu trabalho.

Entre os indicados pelo conselho de reitores, de acordo com informação disponibilizada pelo gabinete de Ferro Rodrigues, está Carlos Fonseca, que é professor associado da Universidade de Aveiro, onde é investigador na área da conservação da natureza; e o professor Edelmiro Lopez Iglesias, da Universidade de Santiago de Compostela, Espanha, doutorado em Economia pela mesma instituição, especializado em Política Agrícola e Desenvolvimento Rural. Foram ainda indicados Paulo Fernandes, doutorado e especializado em Ciências Florestais e Ambientais, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro; e António Salgueiro, administrador e técnico da empresa GIFF, especialista com vinte anos de experiência profissional no sector florestal na área da gestão do risco de incêndios, no desenvolvimento da utilização do fogo controlado em Portugal; e o norte-americano Richard de Neufville, engenheiro, especialista em sistemas tecnológicos, pertencente ao MIT Institute for Data, Systems, and Society dos Estados Unidos da América.

Os outros seis elementos já tinham sido designados por Ferro Rodrigues, depois de ouvidos os partidos: o Tenente-General Frutuoso Pires Mateus, engenheiro militar; Marc Castellnou Ribau, chefe de Área Florestal do Corpo de Bombeiros da Generalitat da Catalunha; Joaquim Sande Silva, professor da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra; José Manuel Moura, antigo Comandante Operacional Nacional na Autoridade Nacional de Protecção Civil; Francisco Manuel Cardoso de Castro Rego, professor do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa e coordenador do Centro de Ecologia Aplicada Professor Baeta Neves; e o engenheiro Paulo José Vaz Rainha Mateus, quadro do Ministério da Agricultura e professor convidado na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.