Há uma proposta de 4000 milhões pelo Novo Banco mas chega tarde

A proposta da empresa britânica chega quando a Lone Star já está em negociações exclusivas.

A nova oferta chegou directamente ao Ministério das Finanças
Foto
A nova oferta chegou directamente ao Ministério das Finanças Patrícia Martins

A sociedade britânica Aethel Partners apresentou ao Ministério das Finanças uma proposta que pode chegar aos quatro mil milhões de euros para a compra do Novo Banco, escreve o Jornal de Negócios, esta segunda-feira. No entanto, a oferta chega já fora do prazo de negociações, uma vez que o Banco de Portugal e a Lone Star já estão em negociações exclusivas há uma semana.

O valor, limitado por condicionantes, detalha o Negócios, poderá ascender aos três mil milhões de euros, deixando espaço para o aumento de mil milhões.

O interesse da Aethel não é novidade. No final de Janeiro, a empresa do gestor português Ricardo Santos Silva e da sócia Aba Schubert já tinha demonstrado intenções de participar na compra do Novo Banco, tendo criado uma sociedade independente, a Aethel Limited, para concretizar o negócio.

O tardio interesse da empresa britânica chegou dois dias depois de a Lone Star se tornar oficialmente negociador exclusivo, num processo que envolve já a Comissão Europeia, através da Direcção-Geral da Concorrência.

Em Janeiro, Sérgio Monteiro, que conduz o processo de venda, respondeu que a Aethel só pode participar se se aliar a um dos fundos norte-americanos que são finalistas no processo de venda do ex-BES. Agora, a indicação repetir-se-á para uma junção à Lone Star.

No entanto, de acordo com o Negócios, a Aethel não está disponível a integrar a proposta da Lone Star, o que inviabilizará a concretização da oferta.