Juiz quer que "El Chapo" apareça em vídeo no julgamento para evitar saída da prisão

A audiência no tribunal está marcada para 3 de Fevereiro. Defesa e acusação ainda podem recorrer da decisão do juiz.

Foto
El Chapo poderá não se deslocar ao tribunal se a defesa e a acusação aceitarem decisão do juiz Reuters/JOE PENNEY

O narcotraficante mexicano Joaquin Guzman, conhecido por "El Chapo", foi extraditado para os Estados Unidos na semana passada e encontra-se numa prisão de Nova Iorque a uns poucos três quilómetros do tribunal onde vai ser julgado.

No entanto, um juiz norte-americano decidiu mesmo assim que o narcotraficante não se deslocaria na carrinha celular até ao tribunal em Brooklyn, mas apareceria em videoconferência, escreve a AFP. Procuradores e advogados de defesa têm até 30 de Janeiro para recorrer da decisão tomada pelo juiz para evitar o aparato policial que implicaria a deslocação de um dos mais conhecidos criminosos do mundo – e que no passado, quando ainda estava México, fugiu da prisão duas vezes.

A audiência está marcada para 3 de Fevereiro, será uma audiência “breve”, justificou o juiz, e a comunicação via videoconferência será uma forma de “minimizar o transtorno que causaria o transporte físico” do réu.

O barão da droga e líder do cartel de Sinaloa está na prisão – Centro Correcional Metropolitano (MCC, na sigla em inglês) – por onde já passaram presos mediáticos como por exemplo Ramzi Ahmed Yousef, bombista do World Trade Center em 1993, escreve o New York Times. Apesar das apertadas medidas de segurança, vários presos tentaram ou conseguiram fugir desta cadeia.

Em 1981, um preso quase conseguir evadir-se pelo telhado à passagem de um helicóptero sequestrado. Em 1990, dois presos escapuliram-se de uma janela recorrendo a um cabo eléctrico. Nesse mesmo ano, Maurício Menendez, um colombiano de 59 anos acusado de tráfico de cocaína e lavagem de dinheiro, fugiu e permanece desde então na lista dos suspeitos mais procurados das autoridades dos Estados Unidos.

"El Chapo" é ele próprio conhecido por fugas surpreendentes da prisão de Altiplano – a última das quais em 2015 através de um túnel sob o chuveiro. Já em 2001 se tinha evadido dentro de um carro da lavandaria da cadeia. Um dos argumentos das autoridades norte-americanas para conseguir a extradição de "El Chapo" foi de que ele não teria forma de fugir de uma prisão nos Estados Unidos.

Na sexta-feira passada, "El Chapo" deslocou-se ao tribunal para um breve depoimento, no qual se declarou inocente de tráfico de armas e de droga. Acusado, pelos procuradores, de liderar um dos maiores cartéis de droga do mundo e de vender toneladas de heroína, cocaína e anfetaminas nos Estados Unidos, entre 1989 e 2014, o narcotraficante de 59 anos incorre numa pena de prisão perpétua e no pagamento de 14 mil milhões de dólares ao Estado norte-americano.