UGT junta-se à CGTP em greve na saúde e na educação

Fesap vai entregar pré-avisos de greve para os dias 20 de Janeiro e 3 de Fevereiro.

Sector da saúde terá greve na próxima semana
Foto
Sector da saúde terá greve na próxima semana José Fernandes

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) vai juntar-se à greve do sector da saúde marcada para 20 de Janeiro (sexta-feira da próxima semana) pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS).

“Os motivos que levam os trabalhadores do sector da Saúde a fazerem greve no próximo dia 20 de Janeiro são justos e justificados”, refere a Fesap numa nota enviada à comunicação social. E lembra que Governo “tarda em satisfazer um conjunto de reivindicações que têm vindo a ser discutidas” dando como exemplos a valorização da carreira especial de técnico superior de diagnóstico e terapêutica, a situação dos trabalhadores das Unidades de Saúde Familiar, a possibilidade de adesão à ADSE dos trabalhadores com contrato individual ou o acordo colectivo de trabalho para os hospitais EPE.

Entre as reivindicações estão ainda a aplicação das 35 horas de trabalho semanal a todos os trabalhadores da Saúde ou a necessidade de se procederem a admissões para colmatar a falta de pessoal no sector.

Embora a Fesap garanta que continua empenhada nos processos negociais em curso, diz que vai também promover todas as formas de luta “que os trabalhadores considerem necessárias para defenderem os seus direitos”. Também a greve de 3 de Fevereiro dos trabalhadores não docentes das escolas contará com a Fesap.

A estrutura da UGT prepara-se para entregar um pré-aviso de greve onde reclama o fim da precariedade destes trabalhadores, a valorização das suas carreiras, o descongelamento das progressões e a resolução dos problemas de falta de pessoal.