Comentário

A figura da semana: Elisa Ferreira, o rosto do acordo sobre a união bancária

Eurodeputada do PS liderou a equipa do Parlamento Europeu que chegou a um entendimento com os Governo da UE sobre o mecanismo único de resolução dos bancos.

Foto
Elisa Ferreira é eurodeputada desde 2004 Miguel Madeira

Passo a passo, vai ficando composto o novo figurino da união bancária europeia, cozinhado para precaver o risco de colapso das instituições financeiras e diminuir o risco de desconfiança entre os bancos. Objectivo: pôr de pé um sistema de supervisão único, acompanhado de um mecanismo destinado a amortecer os custos de liquidação dos bancos em risco de falência, com uma autoridade única e um fundo financiado em 55.000 milhões de euros pelo próprio sistema bancário.

E o passo dado na madrugada da última quinta-feira, com o acordo fechado ao fim de uma maratona negocial de 16 horas entre o Parlamento Europeu (PE) e os Governos da União Europeia, representou uma aproximação das posições dos executivos nacionais (leia-se, Berlim) às propostas do PE.

Da esquerda à direita europeias, foi unânime o reconhecimento do papel, neste entendimento, de Elisa Ferreira, a eurodeputada relatora e representante do Parlamento nas negociações. Martin Schulz, presidente do PE, elogiou o seu “papel-chave” no desfecho das negociações; o comissário europeu do Mercado Interno, Michel Barnier, destacou o “trabalho incansável” da equipa de legisladores; o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, quis deixar-lhe um “elogio merecido”; o secretário-geral do PS, António José Seguro, falou num “avanço” face ao que estava em cima da mesa em Dezembro.

O reconhecimento do trabalho e da influência da eurodeputada independente eleita pelo PS não é de agora, mas ganhou com esta iniciativa uma visibilidade particular. Como chefe de fila dos socialistas europeus na Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários, pôs a assinatura em textos legislativos importantes. E foi uma das vozes que se levantaram para o Parlamento abrir uma investigação aos métodos de trabalho e resultados das receitas da troika, cujas conclusões foram aprovadas este mês.

Os nomes dos candidatos do PS às europeias de 25 de Maio são aprovados terça-feira na comissão política socialista. Na imprensa europeia, o nome de Elisa Ferreira não passou despercebido na última semana.