António Costa admite recorrer aos tribunais por causa da concessão de Carris e Metro

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, admitiu nesta quinta-feira contestar judicialmente a intenção do Governo de concessionar a Carris e o Metro de Lisboa, avisando que as duas empresas pertencem ao município, que tem de ser ouvido neste processo.

António Costa acusa Miguel Relvas de "empurrar" Fernando Seara para Lisboa
Foto
António Costa acusa Miguel Relvas de "empurrar" Fernando Seara para Lisboa Rui Gaudêncio

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, anunciou nesta quinta-feira que a Carris e a Metro de Lisboa vão ter dois contratos de concessão independentes, apesar de serem atualmente uma única empresa, fundida operacionalmente.

O anúncio mereceu o repúdio do presidente da Câmara da capital, que se queixou de não ter sido ouvido pelo governante sobre esta matéria. "O senhor secretário de Estado deve saber que se quer tratar seriamente dos assuntos dos transportes públicos na cidade de Lisboa, tem obrigação de falar com a Câmara Municipal de Lisboa. Caso contrário, utilizaremos os meios jurídicos que temos ao nosso alcance para fazer valer os nossos direitos e não deixaremos de o fazer", avisou.

António Costa, que falava aos jornalistas à margem da inauguração do evento gastronómico ‘Peixe em Lisboa' aplaudiu a posição de Sérgio Monteiro de que as câmaras municipais devem estar cada vez mais envolvidas na gestão dos transportes públicos, uma reivindicação antiga do autarca da capital.

"Vi essa declaração como positiva, agora é preciso ver em que é que se traduz efetivamente essa intenção do senhor secretário de Estado. Ao mesmo tempo, ouvi-o anunciar que pretende dispor de duas empresas que são da Câmara Municipal de Lisboa, sem falar com a Câmara Municipal de Lisboa", disse, referindo-se ao Metro e Carris.<_o3a_p>

O Governo, sustentou António Costa, "não pode querer simultaneamente ter um maior envolvimento das autarquias e, ao mesmo tempo, entender que dispõe de empresas que são da cidade sem ouvir a cidade e sem ter em conta o que é que a cidade deseja sobre essas empresas".<_o3a_p>

"Infelizmente, começámos muito bem, mas tem vindo a correr de mal a pior. Ao princípio houve bom diálogo e boa colaboração, mas ultimamente o senhor secretário de Estado diz que nos quer ouvir, mas não nos ouve", lamentou o autarca, a propósito do diálogo com o secretário de Estado dos Transportes.<_o3a_p>

Questionado pelos jornalistas sobre a saída de Miguel Relvas do Governo, Costa escusou-se a comentar, alegando estar na inauguração de um evento como presidente da Câmara de Lisboa.<_o3a_p>

Sugerir correcção