Vendas de Portugal são baixas mas tendem a aumentar

Produtores de vinho chineses pedem investigação sobre importações europeias

Foto
Foto: Bobby Yip/ Reuters (arquivo)

Os produtores de vinho chineses pediram ao Governo para averiguar se os produtores europeus estão a colocar na China vinhos abaixo do preço de mercado.

A Associação de Bebidas Alcoólicas da China pediu ao ministro do Comércio do país que olhasse para as diferenças de preço entre os vinhos produzidos na China e os que entram provenientes da Europa, chamando ainda a atenção para que se analisem os subsídios de que dispõem os produtores na União Europeia.

As exportações de vinho da Europa para a China tiveram um aumento exponencial nos últimos anos, atingindo 169 milhões de litros em 2011, contra 35,9 milhões de litros em 2008.

O secretário da subcomissão da associação do vinho chinês, Wang Zuming, afirmou que “quase todas as empresas chinesas de produção de vinho sentiram fortemente o impacto do ataque das importações através de consideráveis quedas de mercado”.

Salientando ainda o grande potencial do mercado chinês, referiu que os produtores europeus estão “a tirar partido dessa potencialidade”, ao exportar “grandes quantidades de vinho barato”.

De acordo com Jim Boyce, um especialista de vinhos chinês citado pela Reuters, “as importações de vinhos baratos estão a crescer rapidamente”. Este especialista, que escreve sobre vinhos, chama a atenção para o primeiro trimestre de 2012, em que “os vinhos espanhóis representaram 9,2% do volume de vinhos transaccionados no mercado chinês, mas representaram apenas 5,1% em valor”. “Se isso é fazer dumping eu não sei, mas muitas pessoas estão provavelmente a olhar para isto e a pensar que sim.”

De acordo com um estudo sectorial publicado pela Vinexpo (um certame de vinho em Bordéus), a China é o quinto maior consumidor de vinho no mundo. De entre os países europeus exportadores de vinho para a China, em 2010, a França liderava a tabela, com 46,1%, seguida da Itália, com 6,1%, e da Espanha, com 5,96%.

Apesar de em 2010 Portugal ter exportado apenas 0,96%, um estudo sectorial da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) refere que “as taxas de crescimento das exportações portuguesas para a Grande China são francamente encorajadoras”, pois em 2010 as vendas para aquele país cresceram 155%, tendo atingindo 7,4 milhões de dólares (5,9 milhões de euros ao câmbio actual).