Entre Junho e Agosto

Défice da balança comercial recuou em dois mil milhões de euros

Exportações para o mercado comunitário explicam desagravamento da balança comercial
Foto
Exportações para o mercado comunitário explicam desagravamento da balança comercial Nuno Ferreira Santos

As exportações portuguesas aumentaram, entre Junho e Agosto, 13,9% face ao período homólogo de 2010, enquanto as importações diminuíram 5,2%, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A evolução favorável e simultânea dos dois indicadores determinou um “desagravamento do défice da balança comercial no montante de 2007,8 milhões de euros”, diz o relatório hoje divulgado pelo INE.

Esta melhoria é “consequência essencialmente da recuperação registada no comércio intracomunitário”, explica a autoridade estatística nacional.

O volume de bens que saíram de Portugal com destino a outros países da União Europeia aumentou 13% entre Junho e Agosto para 7,5 mil milhões de euros, enquanto as importações diminuíram 7,9% para cerca de 9,8 mil milhões de euros em relação a igual período do ano passado.

Dos 7,6 mil milhões de euros arrecadados com a exportação de bens, cerca de 6,5 mil milhões de euros provieram de parceiros comerciais da zona euro. Para a união monetária, as exportações nacionais cresceram 13,6%, ao passo que as importações recuaram 8,2%, para 8,8 mil milhões de euros.

Fora do mercado comunitário, tanto as exportações como as importações cresceram 16,6% e 2,5%, respectivamente.

De acordo com o INE, as categorias económicas que registaram um maior aumento das exportações no trimestre terminado em Agosto foram material de transporte e acessórios (21%), fornecimentos industriais (18,5%) e outros bens de capital (17,5%).

No extremo oposto, material de transporte e acessórios (menos 17,1%) e máquinas e outros bens de capital (menos 13,3%) foram as categorias que lideraram as importações.

Notícia corrigida às 17h08