Navio responsável por colapso da ponte de Baltimore está a ser investigado pelo FBI

A investigação tenta perceber se a tripulação do navio Dali, que partia em direcção ao Sri Lanka e perdeu a energia, sabia das avarias na embarcação.

Foto
Uma imagem de satélite mostra uma visão mais próxima do navio e da ponte Francis Scott Key que colapsou em Baltimore Maxar Technologies/Handout via REUTERS
Ouça este artigo
00:00
02:33

O FBI abriu uma investigação criminal federal sobre o colapso da ponte de Baltimore no mês passado, quando um navio chocou contra um dos seus pilares, informou a agência nesta segunda-feira. Agentes do FBI embarcaram no navio cargueiro Dali para realizar perícias, disse um porta-voz à Reuters. Não há outras informações públicas disponíveis, e o FBI não emitirá mais comentários, disse o porta-voz.

Na madrugada de 26 de Março, o enorme navio porta-contentores perdeu energia e chocou contra um pilar de apoio, fazendo com que a ponte Francis Scott Key desmoronasse no rio Patapsco, o que provocou a morte a seis pessoas que trabalhavam nas obras do tabuleiro da ponte no momento do acidente. A investigação sobre o colapso vai focar-se, em parte, sobre se a tripulação do navio cargueiro Dali abandonou o porto sabendo que a embarcação tinha sérios problemas com os seus sistemas, informou o Washington Post na segunda-feira. Os investigadores de segurança recuperaram o gravador da "caixa negra" do navio, que fornece dados sobre a posição, velocidade, direcção, radar, áudio da ponte e comunicações de rádio, bem como alarmes.

O chefe do Conselho Nacional de Segurança de Transporte dos EUA disse separadamente ao Congresso, na semana passada, que os seus investigadores entrevistaram pessoal de navios de carga como parte da investigação. Os trabalhos para limpar os destroços e restaurar o tráfego através do canal de navegação do porto continuam. A substituição da ponte provavelmente levará anos, mas as autoridades abriram dois canais temporários para permitir que alguns navios de águas rasas se movam ao redor do navio porta-contentores atingido.

O Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA disse há duas semanas que esperava abrir um novo canal para o porto de Baltimore até o final de Abril. Quando o acidente ocorreu, o Dali estava a abandonar Baltimore a caminho de Colombo, Sri Lanka, com uma tripulação de 21 pessoas, além de dois pilotos a bordo para guiá-lo para fora do porto. O mesmo navio esteve envolvido num incidente no porto de Antuérpia, na Bélgica, em 2016, quando atingiu um cais ao tentar sair de um terminal de contentores no Mar do Norte.

Uma inspecção realizada em Junho de 2023 em San Antonio, no Chile, constatou que a embarcação tinha deficiências de propulsão e máquinas auxiliares, de acordo com dados do site Equasis, que fornece informações sobre os navios. De acordo com a Autoridade Marítima e Portuária de Singapura, a embarcação passou por inspecções em portos estrangeiros em Junho e Setembro passados. A proprietária registada do navio com a bandeira de Singapura é a transportadora Grace Ocean Pte Ltd, mostram dados da LSEG. O Synergy Marine Group administrou o navio, e a Maersk fretou-o.

Sugerir correcção
Comentar