Diana Pereira: ao volante ou na passerelle, “é preciso lutar e batalhar pelo que se quer”

Chega um momento em que a mudança se torna uma urgência, mais nada parece fazer sentido. É isto que une Rui Maria Pêgo, Diana Pereira, Mário Rolando, Inês de Medeiros e Vasco Pereira Coutinho.

Foto
Diana Pereira no Autódromo do Estoril Rui Gaudêncio

Os saltos deram lugar aos botins; os vestidos de lantejoulas foram trocados pelos fatos; e a passerelle transformou-se num troço de rali. Ninguém tem só uma faceta e Diana Pereira está constantemente a prová-lo, ora a posar em frente às câmaras numa campanha de moda, ora ao volante de um jipe de todo-o-terreno. Os dois mundos, assegura, não têm nada em comum, mas a coimbrense promete, com humor, ser a mesma em ambos: “Não mudo nada. Vou vestida da mesma maneira e tudo.”

Sugerir correcção
Ler 1 comentários