O SARS-CoV-2 pode mesmo reduzir o número de bactérias no intestino e isso não é bom

Novo estudo confirma que o coronavírus SARS-CoV-2 pode contribuir para a redução da diversidade da microbiota intestinal, o que deixa mais espaço para outras infecções.

Foto
A rosa, partículas do vírus SARS-CoV-2 NIAID

Desde cedo na pandemia de covid-19 que se tem vindo a investigar o papel do SARS-CoV-2 nos intestinos. E, aos poucos, tem-se vindo a desvendar essa relação. Esta semana, um artigo publicado na revista científica Nature Communications mostra que a infecção com esse coronavírus pode mesmo reduzir o número de espécies de bactérias no intestino. Essa diminuição de diversidade intestinal pode fazer com que outros agentes patogénicos ganhem espaço, tornando maior o risco de outras infecções. Se a pessoa já tiver previamente um desequilíbrio da flora intestinal, essa pode ainda agravar-se mais. Os estudos prosseguem e há ainda muitas questões por responder.

Sugerir correcção
Ler 8 comentários