• Há coisas inacreditáveis que são mesmo verdade e outras que parecem certas mas que não resistem a uma análise crítica. Fazer exames médicos de rotina, mesmo sem qualquer sintoma, parece uma boa ideia, mas na realidade pode causar mais problemas do que aqueles que previne.

  • A ciência também é feita de incertezas e há quem as aproveite para passar ideias erradas e sem fundamentação científica. Assim nascem movimentos pseudocientíficos como o das antivacinas e o da rejeição das estatinas.

  • Mortalidade por doenças cardiovasculares diminuiu de forma impressiva, notam especialistas. Polémica do colesterol e das estatinas já valeu a Manuel Pinto Coelho várias queixas na Ordem dos Médicos

  • Miguel Guimarães. O bastonário dos médicos recusa que estes sejam uns privilegiados. É uma ideia "das mais erradas que se podem ter". Defende que não ganham o suficiente. E que a partir de certa idade deviam até ter direito a um regime especial. Sobre o ministro, diz que "não está a ser sério".

  • A psiquiatria tecnológica e robótica, com a fria linguagem dos computadores, já está aí a bater-nos à porta.

  • Será mesmo o colesterol uma grande farsa e as estatinas o maior embuste farmacêutico do século?

  • O investigador Paulo Melo refere que é importante que as crianças sejam observadas por dentistas uma vez por ano. Nos jovens com 18 anos, 67% tem cáries dentárias.

  • Uma mutação genética associada a uma doença cardíaca hereditária foi corrigida com a técnica de edição de genes chamada CRISPR/Cas9. Apesar do sucesso da experiência, os cientistas avisam que é preciso mais investigação antes de se levar esta solução para a prática clínica

  • Hugo Sousa, médico e investigador, é o primeiro português a ser distinguido pelo Prémio de Diagnóstico Abbott. Em causa está a descrição, inédita em seres humanos, de uma mutação genética no citomegalovírus que afecta doentes transplantados.