Israelita acusado de abuso de menores quer usar nacionalidade portuguesa para evitar extradição

“Se eu quisesse fugir, escondia-me em Portugal.” O agente de modelos Shai Avital, acusado de ofensas sexuais em Israel, foi detido nos Países Baixos. Tornou-se português ao abrigo da lei dos sefarditas.

Foto
Shai Avital com as modelos Bar Zomer e Nicol Mosli numa festa em Monte Carlo, Mónaco, em 2017 Anthony Ghnassia

Acusado de crimes sexuais por 26 mulheres israelitas, entre as quais algumas menores na altura, o agente de modelos Shai Avital, de 44 anos, foi preso no dia 18 de Agosto em Amesterdão, nos Países Baixos. Uma detenção coordenada pelas autoridades neerlandesas e israelitas, após ter sido considerado um “criminoso fugitivo”. A extradição poderá complicar-se pelo facto de Avital ter obtido a nacionalidade portuguesa ao abrigo da lei dos sefarditas.

Sugerir correcção
Ler 80 comentários