Relatório de 2011 dizia que havia crianças de seis anos nos gangs em Portugal

Em 2008 foi criado um Observatório da Delinquência com o objectivo de estudar o fenómeno. Estudo foi concluído e entregue em 2010. Passou por dois ministros da Administração Interna, mas nunca terá sido apresentado.

Foto
NELSON GARRIDO / PUBLICO

O ITACA 2011, um projecto internacional no qual Portugal participou e que teve como objectivo compreender melhor o fenómeno dos gangues em Portugal, revelava que “os elementos dos gangs juvenis, de acordo com os jovens praticantes, tendem a ser crianças e jovens do sexo masculino, entre os seis e os vinte e cinco anos, podendo também incluir membros adultos que lideram e guiam os mais novos”.

Sugerir correcção
Comentar