Aprovado o OE “datado” e da maioria pouco dialogante, novos parceiros já olham para 2023

PAN e Livre esperam ganhar no OE2023 o que não conseguiram agora. No primeiro orçamento da maioria absoluta do PS, a vontade de diálogo será medida pelo nível de concretização das medidas “grátis” aprovadas aos novos parceiros.

Foto
Orçamento do Estado para 2022 aprovados com os votos a favor dos deputados do PS Rui Gaudêncio

Sete meses depois do chumbo da proposta original e apenas cinco meses antes de voltar ao hemiciclo para defender a do próximo ano, o Governo saiu do Parlamento com um orçamento a que a oposição não poupou críticas, dois novos parceiros políticos, e uma nova expressão para o léxico parlamentar. Além do voto do PS, o documento teve a abstenção já anunciada dos dois deputados únicos do PAN e do Livre e a de surpresa dos três eleitos pelo PSD-Madeira – até o líder parlamentar social-democrata disse que não estava à espera. Dos restantes, o esperado voto contra.

Sugerir correcção
Comentar