Criptomoedas podem ser alguma coisa, mas não são moedas

Nunca me livrei da convicção de que os aficionados das criptomoedas percebem muito de informática mas pouco de Economia e menos ainda de História.

É preciso pôr o recente crash das criptomoedas em perspetiva. Uma bitcoin hoje está vinte mil dólares mais cara que há dois anos. Não foi assim há tanto tempo que se transacionava por dois ou três mil dólares. O problema das criptomoedas não são os crashes. A estranheza é que nada daquilo faz sentido, pelo menos para o fim apregoado – serem moeda. Nem o facto de esses dínamos das boas políticas económicas, El Salvador e a República Centro Africana, terem tornado a bitcoin a sua moeda oficial me abana a perplexidade.

Sugerir correcção
Ler 30 comentários