Registos Centrais foram pressionados a dar nacionalidade a Abramovich com urgência

Comunidade Israelita do Porto invoca “interesse nacional” que envolve o próprio Governo para apressar naturalização do oligarca russo pela Conservatória dos Registos Centrais. Num e-mail enviado à direção do organismo é referida reunião com Pedro Siza Vieira, anterior ministro da Economia.

Foto
Processo de Abramovich durou três meses Reuters / John Sibley

Motivos de “interesse nacional” que “envolvem o próprio Governo”, a B’nai B’rith Internacional – a maior e mais antiga organização judaica mundial – e um grupo de judeus sefarditas portugueses “listados na Forbes” foram invocados pela Comunidade Israelita do Porto (CIP) para convencer a direcção da Conservatória dos Registos Centrais (CRC) a tramitar com urgência o processo de naturalização de Roman Abramovich. A pressão teve o efeito desejado e em três meses o oligarca tornou-se o português mais rico do mundo, com o aval do Ministério da Justiça (MJ), Polícia Judiciária (PJ), Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e Serviços de Informações de Segurança (SIS) do Estado.

Sugerir correcção
Ler 56 comentários