Jóias de Isabel II vão estar em exposição para o Jubileu

A coleção de jóias da rainha britânica, onde se inserem relíquias como o Diadema de Diamante, vai estar em exposição nos palácios reais a propósito do Jubileu de Platina.

Foto
Diadema de Diamante ROYAL COLLECTION TRUST

Um conjunto de jóias da colecção pessoal da rainha Isabel II vai ser exposto ao longo do Verão nos vários palácios reais britânicos. A exposição integra-se nas celebrações do Jubileu de Platina da monarca, que completa 70 anos no trono.

A colecção – que inclui também vestidos, fotografias e peças de arte – vai ficar a cargo da Royal Collection Trust. Entre os destaques está o Diadema de Diamante, usado pela rainha nas semanas a seguir à sua ascensão ao trono. Vão estar ainda em exposição alguns dos mais reconhecidos broches bem como o vestido de coroação e o manto da soberana.

O Palácio de Buckingham, o Castelo de Windsor e o Palácio de Holyroodhouse são os locais escolhidos para expor os objectos que constituem uma componente histórica da monarquia britânica. Através de cada uma dessas relíquias, o visitante poderá viajar por diferentes períodos do reinado de Isabel II, como a ascensão ao trono, a coroação e ainda jubileus passados.

A primeira exposição começa a 3 de Julho no Palácio de Holyroodhouse, em Edimburgo, Escócia. Seguem-se as exposições no Castelo de Windsor, em Berkshire, Inglaterra, a 7 de Julho e no Palácio de Buckingham, em Londres, a 22 do mesmo mês.

Buckingham: A Ascensão ao Trono

É no Palácio de Buckingham que vão estar algumas das peças mais reconhecidas e apreciadas, de 22 de Julho a 2 de Outubro deste ano. O Diadema de Diamante, herdado pela rainha Vitória em 1821, é o principal exemplo da sumptuosidade que vai ser exposta.

A jóia costuma ser usada pela actual rainha na Cerimónia de Abertura do Parlamento, geralmente todos os anos. Esta é composta por 1333 pedaços de diamante, duas filas de pérolas e ainda diamantes em forma de rosa, de cardo e de dois trevos – que representam a Inglaterra, a Escócia e a Irlanda.

Outro dos destaques concentra-se no colar de Delhi Durbar, herdado no ano da coroação (1953). No total, são 8,8 quilates de um pendente de diamantes acompanhado de nove esmeraldas. Estes dois objectos máximos da figura monárquica britânica fazem-se ainda acompanhar de retratos oficiais da rainha nas semanas que se sucederam à ascensão ao trono.

Colar Delhi Durbar Royal Collection Trust
Fotografia de Isabel II semanas depois da ascensão ao trono Royal Collection Trust
Fotogaleria
Royal Collection Trust

Windsor: A Coroação

O Castelo de Windsor planeia também ter um conjunto de objectos em exposição até 26 de Setembro. A partir de 7 de Julho, quem visitar o local terá a oportunidade de contemplar o vestido de coroação de Isabel II bem como o seu manto, feito com veludo de seda roxo.

Para além dessas peças de vestuário, a exposição vai incluir cinco broches da rainha. Um dos que mais se destaca é o de folha de ácer, que foi usado por Isabel II, enquanto princesa, na sua primeira visita ao Canadá, em 1951. Entretanto, foi usado por outras figuras da monarquia como Camila, a Duquesa de Cornwall, e Kate Middleton.

E há também o broche de lírio-de-fogo – flor nacional do Zimbabué e da Zâmbia –, que foi usado pela rainha quando esta voltou do Quénia após saber a morte do pai, em 1952. Destaque ainda para outros três broches, todos eles com origens estrangeiras – o broche de acácia australiana, o de samambaia de prata da Nova Zelândia e o do Sri Lanka.

Vestido de Coroação Royal Collection Trust
Manto Royal Collection Trust
Broche de Folha de Ácer Royal Collection Trust
Fotogaleria
Royal Collection Trust

Holyroodhouse: O trajeto dos Jubileus

A exposição no Palácio de Holyroodhouse, na Escócia, é a primeira a ter início, a 3 de Julho. Com fim marcado para 25 de Setembro, vai levar à cidade de Edimburgo vários vestidos usados pela rainha ao longo dos anos.

Destacam-se os vestidos dos Jubileus de Prata – 25 anos de reinado –, de Ouro – 50 anos – e de Diamantes – 60 anos. Somam-se ainda prendas oferecidas aquando de visitas oficiais à Escócia.

Conjunto usado pela rainha no Jubileu de Prata Royal Collection Trust
Conjunto usado pela rainha no Jubileu de Diamantes Royal Collection Trust
Lanterna Davy oferecida à rainha em visita à Escócia Royal Collection Trust
Fotogaleria
Royal Collection Trust

70 anos celebrados com pompa e circunstância

As exposições inserem-se nas comemorações dos 70 anos de reinado da rainha Isabel II. Depois de dois anos de pandemia, a família real tenta voltar à normalidade, com múltiplos eventos e cerimónias.

O principal destaque vai para o primeiro fim-de-semana de Junho, de 2 a 5, no qual se comemora o Jubileu de Platina. Nos dias 2 e 3 assinala-se feriado no Reino Unido.

O período de festas arranca com “Trooping the Colour”, o desfile de aniversário, no qual os aviões da Força Aérea prometem colorir os céus. Seguem-se o Derby de Epsom (corrida de cavalos da qual a rainha é adepta), um concerto em Buckingham e o “The Platinum Jubilee Pageant”, que deve contar com várias actuações de artistas britânicos, como Ed Sheeran.

Vão ser quatro dias “para ficar na memória”, afirmou em Novembro passado o ministro da Cultura do país, Oliver Dowden. Antes há ainda vários outros eventos, em que a comunidade é convidada a participar, como uma competição de pudins.

Isabel II completa 70 anos como rainha aos 96 anos, conferindo-lhe o título de monarca há mais tempo no trono em todo o mundo. É um estatuto que pretende levar em diante, agora nas celebrações de mais um marco: o Jubileu de Platina.

Texto editado por Pedro Rios

Sugerir correcção
Comentar