Governo aposta em aliança europeia para inverter o “êxodo” de startups

Novo secretário de Estado da Digitalização apresenta as medidas que já vinham do anterior Governo na abertura de uma conferência de empreendedorismo em Coimbra.

Foto
Mario Campolargo: Portugal e o resto da Europa têm de travar “êxodo” de startups Sergio Azenha

O motor do empreendedorismo em Portugal e em toda a União Europeia (UE) tem um problema: depois de arrancar, segue viagem para outras paragens. O mesmo é dizer que a UE - Portugal incluído - é um apetecível berço para startups e para a inovação, mas depois há algo que falha. Pode ser o sistema fiscal. Pode ser a cultura empresarial. Pode ser algo mais intangível, ou pode ser por coisas muito concretas como o facto de na UE haver 27 regimes diferentes de insolvências. Seja qual for a razão, o novo secretário de Estado da Digitalização e da Modernização Administrativa diz que o país e o continente têm de travar este “êxodo”. E que uma das peças-chave nessa luta já nasceu, está sediada em Portugal e chama-se Europe Startup Nations Alliance (ESNA).

Sugerir correcção
Comentar