Crise nas fronteiras da Ucrânia: Rio e Costa defendem via diplomática, mas preparados para sanções firmes à Rússia

Em matéria de assuntos internacionais, os dois principais candidatos a primeiro-ministro comungam dos mesmos princípios. Perante o cenário de crise iminente no Leste da Europa, ambos defendem que se deve apostar na via diplomática, mas, perante uma agressão da Rússia à Ucrânia, também sustentam uma resposta “à altura” em termos políticos e económicos, como diz Costa. E com uma “dureza sem precedentes”, nas palavras de Rio.

Foto
António Costa e Rui Rio declaram-se preparados para governar num eventual cenário de agressão entre as duas nações Reuters/ANNA KUDRIAVTSEVA

Porque toda a política nacional se insere num contexto internacional, o PÚBLICO questionou este domingo, a uma semana das eleições legislativas, os dois principais candidatos a primeiro-ministro sobre a preocupação que sentem com a crescente tensão entre Ucrânia e Rússia e as respostas não são muito diferentes. António Costa e Rui Rio consideram que tem de se levar a tensão geopolítica entre os dois países muito a sério — e declaram-se os dois preparados para governar num eventual cenário de agressão entre as duas nações, com consequências para a segurança europeia. Ambos defendem uma aposta na via diplomática e em sanções internacionais firmes.

Sugerir correcção
Ler 34 comentários