Quando o cometa Croix Sainte passou pela Lisboa dos anos 80

Foram uma das bandas mais influentes, e de maior culto, nos anos 80 em Portugal. Mas quase não deixaram rasto. Não era apenas a música. Era a poesia, a filosofia e a arte como acesso ao sentido da vida. Retrato de uma época com os Croix Sainte.

Foto
Álvaro Rosendo

Conhecemos as armadilhas do tempo. A idealização ou nostalgia. Mas arriscamos: num curto espaço de tempo, nos anos 80, foram das bandas em Portugal de maior devoção. Os Croix Sainte eram respeitados pelos que os precederam (Xutos & Pontapés, Heróis do Mar), ombreando com os que começaram na mesma altura, de Sétima Legião a Mler Ife Dada, e inspiração para o que se seguiu de imediato (Ama Romanta, Pop Dell’ Arte), constituindo um caso de culto do qual se perdeu o vestígio.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários