Aumentos maiores na função pública só se inflação disparar para 3%

Governo vai prever um mecanismo que proteja os salário de desvios significativo na inflação, mas sindicatos dizem que é insuficiente e que o resultado é “estagnação salarial”.

Foto
Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, diz que a preocupação é garantir que os trabalhadores não perdem poder de compra Rui Gaudêncio

O Governo vai prever, no diploma que determina os aumentos da função pública para 2022, um mecanismo de correcção para responder a eventuais desvios da inflação e garantir que os funcionários públicos mantêm o poder de compra face a este ano. Porém, e tendo em conta as premissas avançadas pelo Governo, só se a inflação homóloga de Novembro disparar para 3% é que haverá aumentos acima de 0,9%.

Sugerir correcção
Ler 8 comentários