“Senadores” temem “punição” eleitoral à esquerda em eleições antecipadas

O Governo está pronto para eleições antecipadas, mas o país teme pelas consequências desta crise. O PÚBLICO falou com várias personalidades da área do PCP, BE e PS e todas vaticinam tempos difíceis para os portugueses.

Foto
António Costa garantiu que se houver eleições antecipadas será cadidato

A crise política que se está a desenhar com o cenário de dissolução à vista da Assembleia da República vai ter custos eleitorais para os três partidos que fundaram a “geringonça” e pode abrir caminho ao crescimento dos partidos da extrema-direita. Na véspera da votação do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) no Parlamento, o PÚBLICO ouviu algumas personalidades da área do PCP, do Bloco e do PS para saber como avaliam a gestão da crise e todas manifestam grande preocupação com os efeitos que ela pode comportar.