O acordo de formação profissional e o desacordo da CGTP-IN

Saber negociar, frontal e duramente, colocar o peso político e social da CGTP-IN no prato da balança para adquirir ganhos de causa para os trabalhadores, é sempre a estratégia vencedora – que, infelizmente, a maioria dos dirigentes da CGTP-IN não prossegue.

A 28 de Julho de 2021, foi assinado na Comissão Permanente de Concertação Social (CPCS) o “Acordo sobre Formação Profissional e Qualificação: um desígnio estratégico para as pessoas, para as empresas e para o País”. Exceptuando a CGTP-IN, todos os membros da CPCS o subscreveram.

Sugerir correcção
Comentar