Professora suspeita de contar a aluna o que ia sair no exame vai ser julgada outra vez

Tribunal da Relação invalida sentença de primeira instância por dizer uma coisa e o seu contrário, dando razão ao IAVE e ao Ministério Público.

Foto
Rui Gaudencio

A professora de Português suspeita de ter avisado uma aluna da matéria que ia sair no exame do 12º ano de Português, Edviges Ferreira, vai começar a ser julgada outra vez em Novembro: o Tribunal da Relação de Lisboa detectou contradições insanáveis na sentença que ditou a sua absolvição, no final de 2020. Ao perceberem que a decisão judicial de primeira instância dizia uma coisa e o seu contrário sobre aspectos cruciais do processo, não restou outra alternativa aos desembargadores senão mandar repetir o julgamento.

Sugerir correcção
Ler 18 comentários