Presidente da CP diz que criação da Refer “marcou início do declínio” da ferrovia

“Esta separação artificial não acontece nos maiores e mais prestigiados caminhos-de-ferro do mundo e nem sequer nos países mais liberais”, diz Nuno Freitas.

Foto
Nelson Garrido

“Da minha experiência, senti que a separação da infra-estrutura da CP, com a constituição da Refer, marcou o início do declínio do caminho-de-ferro em Portugal. Julgo mesmo que esta minha sensação é partilhada pela grande maioria dos profissionais do sector”. Nuno Freitas, presidente da CP - Comboios de Portugal, não usou filtro para manifestar a sua discordância ao modelo em vigor na ferrovia imposto pela União Europeia (UE) e prontamente seguido por Portugal, que foi dos primeiros países a separar a infra-estrutura da operação ferroviária.