Tribunal obriga a limpar o sítio das pegadas de dinossauro de Carenque

Gastaram-se oito milhões de euros, na década de 90, para que as pegadas de dinossauro de Carenque (concelho de Sintra) não fossem destruídas por uma estrada. Depois, deixaram-se ao abandono até hoje. A Câmara de Sintra e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas foram agora obrigados pelo tribunal a limpar e a fazer a vigilância do local.

Foto
Os túneis que passam por baixo das pegadas de dinossauro de Carenque Rui Gaudêncio

A Câmara Municipal de Sintra (CMS) e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram condenados pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra a fazer a limpeza, a eliminar a vegetação e a recolher o lixo do sítio das pegadas de dinossauros de Carenque, bem como a pôr sinais que proíbam ali o despejo de resíduos e a vigiar e controlar do acesso a este local que tem achados paleontológicos com mais de 90 milhões de anos. Esta sentença é o resultado de uma providência cautelar interposta pelo geólogo António Galopim de Carvalho e por outros cinco especialistas para limpar e travar a degradação do sítio das pegadas de dinossauros de Carenque, no concelho de Sintra.

Sugerir correcção
Ler 5 comentários