PS: Costa sucede a Costa com 94% dos votos

Na eleição para a liderança das Mulheres Socialistas foi também reeleita Elza Pais com 91% dos votos.

Foto
António Costa reeleito secretário-geral do PS com 94% dos votos Rui Gaudencio

O PS informou neste domingo de manhã que António Costa foi reconduzido no cargo de secretário-geral com aproximadamente 94% dos votos contra os 6% do seu adversário único, Daniel Adrião. Os dados ainda são provisórios e os definitivos serão revelados mais tarde, assim como os valores totais dos votantes e dos inscritos.

Até ao momento, foram apuradas 91% das secções, o que significa que os votos que faltam já não poderão alterar os resultados. Em 2018, os números provisórios colocavam Costa perto dos 96% e Adrião nos 4%.

“Faltando ainda atribuir 161 delegados do total de 1087 delegados com direito a voto, é inequívoca a reeleição de António Costa para secretário-geral do PS, nas eleições que decorreram digitalmente no dia 11 de Junho e presencialmente nos dias 18 e 19 de Junho, António Costa foi eleito com 94% dos votos, sendo que Daniel Adrião obteve 6% dos votos validamente expressos”, informa o PS.

“Caros e caras camaradas, é para mim uma enorme honra ter sido reeleito secretário-geral do Partido Socialista com o vosso voto. Tudo farei para corresponder à vossa confiança e durante os próximos dois anos continuar a liderar o nosso partido, tendo em conta os desafios que temos pela frente”, reagiu António Costa numa curta declaração de vídeo.

Em menos de um minuto, Costa teve apenas tempo para enumerar os desafios: “Pelo país, continuar a combater a pandemia, recuperar a nossa economia e construir o futuro. Mas também liderar o partido naquela que é mais uma exigente batalha eleitoral que temos pela frente: as eleições autárquicas.” Neste segundo desafio, Costa assumiu que a ambição é manter “a maioria das freguesias e dos municípios”, tal como vem acontecendo desde 2013.

A moção do actual líder, intitulada “Recuperar Portugal, Garantir o Futuro”, elegeu até ao momento 908 delegados ao 23.° Congresso Nacional do Partido Socialista, que se realiza em Julho, enquanto a de Adrião — “Democracia Plena” — obteve 18 delegados.

À Lusa, Daniel Adrião disse que ainda aguarda pelos resultados definitivos e totais, fundamentais para a transparência eleitoral saber o número de votantes, em quem votaram e a taxa de abstenção”, mas salientou a evolução na percentagem de votos que obteve nesta terceira vez que participou na corrida interna. “De acordo com estes resultados, a minha votação melhorou em relação às últimas directas e cresci eleitoralmente, o que não posso deixar de considerar extraordinário, tendo em conta as circunstâncias particularmente adversas em que decorreram estas eleições, afirmou. Em 2016, o adversário único de Costa teve menos de 3% e há dois anos ficou-se pelos 4%.

O PS informou ainda que, na eleição para a liderança das Mulheres Socialistas – Igualdade e Direitos, foi reeleita Elza Pais com 91% dos votos, bem como a sua comissão política, num sufrágio com lista única”.