Um ano para celebrar o centenário de José Saramago sem o canonizar

A partir de 16 de Novembro, o Nobel da Literatura português e a sua obra serão alvo de uma programação diversificada comissariada pelo académico Carlos Reis.

Foto
NUNO FERREIRA SANTOS

“Vamos celebrar os 100 anos de José Saramago para que outros celebrem os 200 anos”. É assim que Carlos Reis, comissário do programa do centenário do nascimento do Prémio Nobel da Literatura português – cujas linhas gerais foram apresentadas esta manhã na Fundação José Saramago , vê as comemorações que se iniciam a 16 de Novembro deste ano e se prolongam até à mesma data de 2022, quando se cumprirá um século desde o nascimento do escritor.