Portugal tem hoje os mesmos quilómetros de caminhos-de-ferro que em 1893

Do plano ferroviário de Sócrates ao plano ferroviário de António Costa: nenhuma linha construída e 140 quilómetros de vias férreas encerradas.

Foto
O Plano Ferroviário Nacional é lançado hoje Nuno Ferreira Santos

A monarquia construiu quase tudo da rede ferroviária que hoje temos. A I República pouco adiantou, a ditadura estagnou e a democracia fechou linhas. O regime saído do 25 de Abril (que encerrou 40% das vias férreas) tem agora a oportunidade de inverter um ciclo de desinvestimento e voltar a expandir o mapa dos caminhos-de-ferro portugueses, que tem hoje o mesmo número de quilómetros (2546) que tinha em 1893.