O Silêncio dos Inocentes faz 30 anos e dá a voz a Clarice na televisão

Em 1991, um filme catapultou as personagens de uma série de livros para o estatuto de ícones: o “universo Thomas Harris” é hoje um franchise bem activo na cultura pop. Agora, a agente rouba o protagonismo ao canibal Hannibal Lecter.

Foto
Rebecca Breeds como Clarice Starling em "Clarice" CBS/Fox

Mesmo quem nunca leu Thomas Harris pode saber algumas das suas frases, ou porque viu a mais bem-sucedida das adaptações dos seus livros, o filme O Silêncio dos Inocentes (1991), ou porque alguém à sua volta as usou como bordão. Ou até num gif ou num meme. A nova série Clarice, que se estreia às 22h15 desta segunda-feira na Fox, conta com essa familiaridade com o creme no cesto de Buffalo Bill, com as traças e com o “universo Thomas Harris”, que ganha agora uma nova inscrição. Está porém fora do nicho da televisão de autor e vê-se forçada a deixar de fora o membro mais conhecido da sua família: Hannibal Lecter. Não faz mal, diz ao PÚBLICO a produtora executiva Elizabeth Klaviter. “Todos adoramos o Hannibal e o seu papel no franchise, mas também adoramos Clarice.”