Ivo Rosa não livrou Sócrates. Livrou o sistema que o criou

Em vez de testa de ferro, Santos Silva passou a ser o bode expiatório do processo, com Salgado, Bava, Granadeiro, Vara ou Bataglia a saírem de mansinho. Esse é o grande escândalo.

A decisão do juiz Ivo Rosa teve esta originalidade: matou a Operação Marquês e matou José Sócrates. Se a sua primeira tentação, caro leitor, for achar que Ivo Rosa ilibou o antigo primeiro-ministro, pare um bocadinho e pense outra vez. Não é verdade. Ao manter três crimes de branqueamento de capitais, mais três crimes de falsificação de documento, e considerando a fundamentação a que recorreu para sustentar tais crimes, Ivo Rosa sustentou a existência de indícios mais do que suficientes para acreditar que Sócrates recebeu de forma ilegítima 1,7 milhões de euros de Carlos Santos Silva.