Alto Minho Greenways: uma rede de percursos pedestres a caminhar pelo online

Estão abertas as inscrições para a terceira edição da iniciativa promovida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho. Ateliês, conversas, aulas e passeios virtuais são algumas das experiências no caminho.

relaxar,caminhadas,percursos-pedestres,passeios,minho,fugas,
Fotogaleria
DR/Alto Minho Greenways
relaxar,caminhadas,percursos-pedestres,passeios,minho,fugas,
Fotogaleria
DR/Alto Minho Greenways
relaxar,caminhadas,percursos-pedestres,passeios,minho,fugas,
Fotogaleria
DR/Alto Minho Greenways
relaxar,caminhadas,percursos-pedestres,passeios,minho,fugas,
Fotogaleria
Leandra Benjamin

Proporcionar “vivências diferenciadoras na natureza, orientadas para o bem-estar e o turismo inclusivo”. É com esta bitola que se apresenta a terceira edição da Alto Minho Greenways, uma rede de percursos pedestres que este ano andará por caminhos digitais.

São dez as experiências online, “para descobrir passo a passo” e abrir o apetite a explorações futuras em modo offline. Com datas e horários a definir, e morada no canal de YouTube, a Greenways Online traz conversas sobre ervas aromáticas, infusões e alimentação Km0 (consumo de produtos locais e da estação, para uma pegada ecológica mínima) em Castro Laboreiro, artes de pesca tradicional no Rio Minho, ateliês sobre pão no Soajo, construção de herbários e piqueniques vegetarianos em Corno de Bico, um livro ilustrado para Sentir o Património de Montedor, um percurso sensorial de interpretação da natureza nas lagoas de Bertiandos e São Pedro de Arcos e aulas de chi kung em Germil, ioga em Monção e tai chi na Ribeira de Covas. As inscrições estão abertas e podem ser feitas no site oficial.

Além da singularidade da paisagem e da riqueza do património (material e imaterial), há também uma aposta sustentada nos valores ambientais, atraindo o turismo pedestre e o cicloturismo. 

Para memórias futuras, o site partilha uma série de 11 percursos pedestres (com mapas, coordenadas e informações úteis aos caminhantes), para descarregar e usufruir no tempo, à medida da agenda e dos passos de cada um. 

Delineada pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) e financiada pelo Programa Operacional Regional do Norte (NORTE2020), a iniciativa conta com o apoio de uma dezena de municípios, todos empenhados na promoção deste território verde como destino de excelência: Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira.